III Festival de São Tomé de Paripe reunirá juventude do Quilombo Alto do Tororó e Ilha de Maré 


 

De 25 de novembro a 04 de dezembro acontece a terceira edição do Festival Odara de São Tomé de Paripe. O tema deste ano é “Memórias de Aquilombamento – Todo mundo tem uma história pra contar, essa é a nossa” e a realização será em formato híbrido. A programação percorrerá o território de São Tomé de Paripe, Quilombo Alto do Tororó e Ilha de Maré

A abertura acontece dia 25 com a live “Juventude, Organização e Aquilombamento”, com participação do Coletivo Resistência Preta e lançamento do concurso virtual. A primeira roda “Não é invasão. É ocupação!” recebe na Dona Maura Cristina, coordenadora estadual do MSTB (Movimento Sem Teto da Bahia), Ana Vaneska, conselheira de cultura, presidente da Câmara de Patrimônio Histórico Artístico Arqueológico e Natural do Conselho de Cultura da Bahia, membra
do Fórum de Arte e Cultura do Subúrbio Ferroviário de SSA e coordenadora do Programa de Rádio Ayê Ypadê (Cultura Identidade Art e outros convidados.

No dia 26/11 (sex) o evento acontece no Quilombo Alto do Tororó, com a Roda “Resistência e proteção: manifestações culturais e religiosas” e dia 27 em Ilha de Maré, sobre “Autonomia e organização comunitária”. A Rodas iniciarão com a exibição do curta-metragem Cultura Raiz, parceria com a Propono Consultoria Cultural. As atividades serão gravadas e exibidas no dia 04/12, na Noite Odara, encerramento do Festival e dia de premiação do Concurso Jovem Odara. O tema do concurso Jovem Odara deste ano é “O que é viver em comunidade para você?”.

Tradição do Festival, a competição simbólica tem o objetivo de mobilizar a juventude a refletir questões importantes para o seu desenvolvimento e expressar sua opinião por meio de qualquer linguagem artística.

Acesse para mais informações: @ccm.cultura