Obra cênica NAU segue online em cartaz até novembro


 

NAU

A obra cênica NAU estreia nesta quinta-feira (19), em uma temporada online que seguirá até novembro. Serão, ao todo, 45 apresentações, sempre às 19h. A obra traz espíritos de personagens historicamente ignorados da construção social do Brasil, que voltam ao país em uma barca para um acerto de contas. Um musical afro-diaspórico-tupiniquim, NAU tem direção de Daniel Arcades e Thiago Romero.

Os ingressos serão vendidos no https://www.sympla.com.br/produtor/viapresscomunicacao, e custam R$10, R$20 e R$30, um formato que amplia a possibilidade para o público, que paga o quanto for possível. Parte dos ingressos será destinada gratuitamente para grupos teatrais, escolas e ONGs que trabalham com pessoas em situação de vulnerabilidade social.

“NAU foi feito para repensar a lógica da narrativa da história a partir de personagens silenciados pelos documentos oficiais. É uma revisão necessária e que encontra brecha no que vivemos hoje, quando tantos grupos têm reivindicado seus espaços. Quando eu e Daniel idealizamos esse projeto não sabíamos que seria tão desafiador, não só pelo tempo que vivemos, mas também pela dificuldade de olharmos o outro lado da história. É a história do Brasil contada a partir da visão do colonizado, não do colonizador” – Thiago Romero

Com realização da Via Press Comunicação, Paula Hazin e Teatro da Queda, a montagem original conta com orientação cênica e supervisão de direção do ator da TV Globo Luiz Carlos Vasconcelos e da coreógrafa Ana Paula Bouzas, além de direção de produção de Paula Hazin. As canções foram compostas por Daniel Arcades e Filipe Mimoso – este último assina também a direção musical de NAU. Os efeitos especiais foram assinados por Vj Dexter e VJ Cayetano. Edeise Gomes assina a coreografia. O projeto foi selecionado pelo edital Fábrica de Musicais – Ano II, da Fundação Gregório de Mattos (FGM), Prefeitura Municipal de Salvador.

O projeto será completamente virtual, transmitido pelo site oficial, www.projetonau.art.br.