Orixás como heróis ganharão histórias completas após campanha coletiva


contosdeorunaiyehugocanutoSabe os heróis da Marvel? Thor, Capitão América, Homem de Ferro…agora eles darão lugar a Xangô, Ossain, Ogum, Iemanjá e outras divindades do panteão iorubá. A idéia é do quadrinista baiano, Hugo Canuto, que já esteve aqui no Portal apresentando suas artes pioneira – começando com a “The Orixas”, uma releitura da capa de “The Avengers”, clássico de Jack Kirby – co-criador da Marvel.

Até então eram só capas, agora elas ganharão cenários, cidades, histórias completas. E o primeiro orixá a ter sua história contada será Xangô – o que clama por justiça e a faz, segundo a crença de matriz africana. Ela estará na série Orixás – Contos de Òrun Àiyé. Serão 80 páginas, inicialmente.

“Estou com um roteiro pronto e o segundo em produção. Mas ainda continuo pesquisando, mexendo neles. A primeira história é com Xangô, sou fascinado, a história dele é muito completa. É um dos orixás que mais fascinam, por estar entre a lenda e o registro histórico, assim como a personalidade marcante” – Hugo Canuto

 

As pesquisas do quadrinista, que é daqui de Salvador, vão desde literaturas especializadas na temática a consultorias com pesquisadores e religiosos do Candomblé. “Penso serem os quadrinhos uma linguagem diferente das que estamos acostumadas para a construção de história que envolva a história e cultura afrobrasileira. Conheço Hugo há algum tempo, ele se mostrou muito preocupado em saber mais sobre a mitologia yorubana, indiquei alguns autores, enviei alguns textos. Temos conversado, Hugo tem um traço muito lindo”, ressalta a professora de História na rede pública estadual e municipal de ensino, Miriã Fonseca, que tem auxiliado Hugo em suas pesquisas.

contosdeorunaiyehugocanuto

contosdeorunaiyehugocanuto

Hugo Canuto está em Salvador, mas mora em São Paulo. Mas ele já entendeu que seu trabalho vem o reaproximando cada vez mais de sua terra natal. “Os Contos tem resignificado minha relação com Salvador, uma cidade que, apesar de amar, é extremamente desigual e violenta com seu próprio povo, com a cultura…que oprime o que ela tem de mais bonito, mais verdadeiro, a herança afro-baiana. Esse trabalho também é, de maneira modesta, uma homenagem e uma busca por valorizar nossas melhores aspirações como coletividade”, afirma.

Financiamento

Mas para que esse sonho se torne real e atenda às expectativas dos mais de 2 mil fãs que já seguem a Fanpage do projeto, Canuto lançou campanha de financiamento coletivo para cumprir as seguintes metas: Criação (pesquisas, roteiro, desenho, pinturas, tratamentos finais), Editoração (fechamento, numeração, tradução), Publicação e Distribuição.

E quem ajudar a cumprir cada uma delas ou todas, terá recompensas: camisetas com artes da série, postais e marcadores de livro, a HQ A canção de Mayrube – do próprio Canuto -, páginas originais exclusivas e personalizadas com as artes. Para tudo isso, Canuto e mais dois parceiros deste projeto – o artista plástico, Marcelo Kina e o animador Pedro Minho – pretendem alcançar a meta de R$12mil.

Quanto às capas já produzidas por Hugo até então e com diversos compartilhamentos, comentários e curtidas na Rede Social, você já pode ver: Elegbá, Ogum, Yemanjá, Xangô, e a primeira, Orixas, com outras divindades africanas.  Estas artes – em tamanhos diversos – estão dentre as recompensas.

contosdeorunaiyehugocanutoEntrega

Com a meta cumprida, a equipe pretende concluir os trabalhos em junho de 2017. Todo o andamento será divulgado pela página oficial do projeto e no próprio site da campanha. O projeto contempla ainda um conteúdo especial: além das histórias, terá a Galeria com Artistas, são desenhistas, quadrinistas, designers que serão convidados a também integrarem as recompensas com seus trabalhos.

contosdeorunaiyehugocanuto

Estão dentre estes: os baianos Flávio Luíz Nogueira (O Cabra, Aú o Capoeirista), Oliver Borges (Aurora Comics), Ricardo Cidade, Bruno Marcello, Daniel Cesart, Neo Robatto e Pedro Júnior, além de Rafael Oliveira, Jefferson Costa, Hari Jan, Mikael Quites, e outros e outras que Canuto convidará ao longo da campanha.O Ricardo Cidade, por exemplo, vai fazer uma Yemanjá, no traço dele mas dentro do estilo do projeto. Já o Oliver Borges vai fazer um Ogum lutando, no estilo dele. Outros profissionais da área serão convidados ao longo da campanha.

Então, agora é conferir a página da Campanha, confirmar seu apoio e acompanhar todas as metas! Vai lá: Campanha Orixás – Contos de Òrun Àiyé.

Fotos: Divulgação