Poeta, compositor e cantor Juraci Tavares será homenageado em Porto Alegre


img_5540
Foto:Marina Cardoso

Autor de diversas composições de blocos afros, como Ilê Aiyê, Malê Debalê, Cortejo Afro, Filhos de Gandhy, entre outros, Juraci Tavares, também é escritor, filósofo, professor e construtor civil. Na noite do dia 25, terá a oportunidade de compartilhar suas vivências com os gaúchos no sarau de poesia negra, o Sopapo Poético.

Com mais de algumas décadas de experiências das mais diversas, continua trabalhando em prol do ser humano, com o foco bem direcionado em sua militância em prol das causas negras. Há sempre um diálogo entre poesia, música e filosofia em seus trabalhos. São os valores ancestrais e contemporâneos que norteiam suas ações enquanto artista e ser humano. A sua inserção na herança africana é característica marcante de sua trajetória, construindo caminhos sem se preocupar com a chegada.

O público gaúcho poderá apreciar versos conscientes abraçados a melodias dançantes, pois Juraci Tavares traz, em sua poesia musicada, a liberdade e autonomia das palavras e sons que levam o seu ouvinte e leitor a dialogar consigo mesmo,tirando-o da sua área de conforto, pois o encaminha a reflexões quando afirma: “Negro lindo é pleonasmo/ Negro lindo é exclusão/ O negro lindo aí é dispensável/ É exceção é contramão”. Sons e palavras vivem  entrelaçadas e abraçadas, assumindo a condição sankofiana, porque produz no aqui e agora, ou seja, ancestralidade e contemporaneidade, formando um tempo único.

O seu disco Umbilical são poemas sonoros contidos em seu livro Vocábulos Caminhantes. Ambos trazem para nós a importância da diáspora africana para o mundo com evidência marcante na formação dos baianos. As obras citadas remetem a olhares filosóficos, plurais, rítmicosafros brasileiros. É uma homenagem à África, berço da humanidade. As referidas obras poderão ser adquiridas no sarau Sopapo Poético.

Juraci Tavares valoriza a educação continuada, visto que se considera sujeito inacabado. Aos 51 anos de idade, começou a sua terceira licenciatura. Por já estar inserido na vida artística e musical, resolveu fazê-la em música, pela Universidade Federal da Bahia. Porque tem na inquietação um dos seus pilares, ele continua dando sequência aos referidos estudos com aulas de canto e conceitos musicais.